Projeto 365 filmes por Ano #3 O mágico de Oz (The Wizard of Oz)






















Olá, seja bem vindo a mais uma matéria do meu projeto chamado "365 filmes por Ano", vocês podem conferir as outras críticas e conteúdos clicando aqui. Hoje vou falar um pouco sobre o clássico filme O mágico de Oz ou The wizard of Oz - nome original da produção - (Trailer do filme) que foi lançado em 1939 e que marcou a história do cinema, música e outras artes. Além de ter ganhado dois prêmios do Oscar a produtora levou 10 estatuetas, sendo oito do filme "E o vento levou", outro grande sucesso que vai estar presente no projeto. Confesso que antes de assistir ao filme, achei que ele seria um pouco duvidoso, já que praticamente durante toda a produção ele teve mudanças muito grandes, inclusive entre os personagens e os roteiristas. Mesmo depois de tantas alterações dentro da adaptação, o final se tornou extremamente agradável, inovador e genial.

Como muitos devem saber, o filme foi baseado no livro escrito por Frank Baum e conta a história de Dorothy (interpretada pela atriz Judy Garland), uma jovem moradora do Kansas que após um ciclone, é levada até a terra de Oz junto com seu cachorrinho chamado Totó e sua casa, que por coincidência acaba esmagando e matando a bruxa má do leste. Ela é vista como uma heroína, mas o que ela deseja é voltar para Kansas. Para isso, precisará da ajuda do poderoso e misterioso mágico de Oz que mora na Cidade das Esmeraldas. Durante a comemoração, ela conhece a bruxa má do Oeste (Margaret Hamilton), que culpa a jovem menina pela morte de sua irmã e encontrará três companheiros: um espantalho (Ray Bolger) que quer ter um cérebro, um homem de lata (Jack Haley) que procura ter um coração e um leão covarde (Bert Lahr) que precisa de coragem.


A adaptação é um dos filmes que marcou a história do cinema por seu conteúdo audiovisual. Principalmente pelos cenários, a trilha sonora sem contar com o figurino, que recebeu poucas mudanças como: o sapato de Dorothy, a roupa, os cenários e outros. A trilha sonora é incrível e altamente encantadora, principalmente após ter recebido a emocionante música Somewhere Over the Rainbow, ganhadora do prêmio de Melhor Canção Original. Se você ainda não conhece a música (algo muito difícil) pode conferir o clipe oficial:


O roteiro não possui tanto destaque, mas é possível notar uma grande simplicidade e humildade entre as conversas dos personagens. A fotografia e os cenários são considerados marcos para o momento atual do cinema. O filme foi um dos primeiros a receber a technicolor, uma técnica que transmitia coloração aos filmes, por isso ser considerado um grande momento das indústrias cinematográficas. Podemos tirar algumas lições dos personagens: espantalho - mesmo desejando um cérebro - era o primeiro a procurar soluções e ajudar os amigos, o Homem de Lata - que procura um coração - era sempre o primeiro a sentir durante as situações, o mais cheio de sentimentos do grupo e o Leão - que se considerava covarde - era o primeiro a tomar liderança dentro das situações. A adaptação conta com uma pequena falha a respeito da bruxa má do Oeste (os que assistirem/ assistiram ao filme vão entender).

O filme transmite várias lições e a mais importante é sobre as pessoas acreditarem em si mesmas e não desistirem de seus sonhos. Esse filme me ajudou muito, estava em um momento um pouco confuso e posso garantir que aprendi muito com essa produção e talvez tenha chorado assim que Dorothy começou a cantar "Somewhere Over the Rainbow" e quando entendi que na maioria das vezes o que você procura, está dentro de você.

Minha opinião sobre a adaptação:  ••••   5,6•••
Gênero: Fantasia, Musical
Classificação: Livre

4 comentários:

  1. Oi Christian, eu li o livro (da coleção da Zahar) e me apaixonei... talvez eu escreva uma resenha sobre ele...
    Justamente por ser um filme bem antigo, tentei não criar expectativas quanto a qualidade de imagem, som, etc. Foi um filme inovador para sua época, porém certas mudanças no roteiro com relação ao livro muito me incomodaram, pode ate ser que tenha agradado todos os outros, mas para mim ficou um pouco estranho!

    A história de O Mágico de Oz é de uma simplicidade e importância enormes, assim como a mensagem que tenho como principal que é de buscar primeiro dentro de nós aquilo que queremos e acreditar em quem somos...

    Parabéns pela resenha!
    Um beijo!

    Inventando Assunto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline, tudo bem? O livro da Zahar estava na minha lista de compras, mas acabei comprando o "20 mil léguas submarinas" do autor Jules Verne (um dos meus favoritos). Como ainda não tive a oportunidade de ler o livro ainda não sei muito bem se teve muitas mudanças, mas posso dizer que adorei o filme. Foi um dos meus favoritos do projeto, mesmo assim quero comprar o livro para fazer uma análise aqui no blog. Seria uma ótima ideia você fazer uma resenha sobre ele. Assim que adquirir o livro vou fazer uma matéria analisando o livro, o filme e a adaptação de Oz: mágico e poderoso. Realmente possui uma simplicidade maravilhosa e as lições são muito bonitas.
      Obrigado. Seja bem vinda mais uma vez haha
      Abraços!

      Excluir
  2. Ola Chris, tudo bem, amo esse filme, não li o livro, mas como dizem e já vida em outras adaptações, o livro sempre é melhor, Magico de Oz é perfeito, confesso que choro com i filme, amei o projeto e vou fuçar de olhos aqui bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, seja bem vinda haha
      Tudo sim e com você? Realmente as pessoas falam muito sobre as adaptações, mas fui sincero na crítica sobre o filme, no entanto ainda não li o livro por isso não posso fazer uma análise completa, porém o livro já está na minha lista de desejados. Fique a vontade, tenho várias outras surpresas para o projeto e também vários outros clássicos.
      Abraços!

      Excluir

Compartilhe com outros leitores sua opinião